Le Etape Du Tour

Depois de 6 meses de treinos aqui estamos em Alpe D’Huez saindo as 3:00 da manhã já vestidos para a largada que será as 7:00 em Modane.

Acho que eu mesmo fiz pouco caso do L’etape. Afinal 109 km não assustam tanto assim…já pedalamos muito mais nos treinos, não poderia ser tão diferente. Essa percepção mudou completamente quando fizemos os primeiros treinos aqui na França. Quando descemos de Alpe D’huez já vi que a subida seria dura.

O pessoal do grupo, que é ciclista a muito mais tempo que eu, disse que essa é uma montanha acima das categorias pré estabelecidas (5-1)..é uma montanha Hours Concours (tradução “língua no joelho”, hehe)

Tentei dormir no ônibus mas não consegui de ansiedade. Na estrada todos os carros estavam com bicicletas em seus bagageiros. Chegando perto de Modane o transito já não andava. Paramos o ônibus e seguimos pedalando por aproximadamente 5km até o local da largada.

Tudo muito bem sinalizado, aliás na minha opinião, a organização deu um show. Chegamos ao nosso local determinado pelo numero de prova e ficamos aguardando enquanto a locutora saudava a todos em todas as línguas, inclusive em português. Nunca vi tanto ciclista junto, cerca de 9.000 pessoas de várias idades e nacionalidades. Impressionante o numero de pessoas mais “experientes” inclusive, fácil ver senhores em torno de 70. Como disse o Ale Cruz, “Um monte de Papai Noel pedalando”.

Largamos e de cara 14km de um pelotão que mantinha 60km/h por vários momentos. Como estávamos em uma leve descida a velocidade se mantinha alta. Tentei segurar pois em largada, com todo mundo cheio de energia, é fácil acidentes acontecerem. Mas mesmo assim a velocidade seguiu alta.

Curva fechada a esquerda e começa a subida para o Telegraphe, 12km de subida saindo de 732 metros e chegando a 1566. Lindo visual, La de cima não podia acreditar que saímos daquele vale pequenininho La em baixo.

Passado o Col Du Telegraphe, 5km de descida para recuperar…parei em um dos pontos de alimentação para abastecer de água e comer uma banana. Por todo o vilarejo que passávamos as pessoas gritavam incentivando, ofereciam frutas, água, tocavam sinos….muito bacana…como estava com a camisa com a bandeira do Brasil muitos gritava Allez Brésil Allez Brésil….

Começo a subida do Galibier me poupando, estamos a 434m e vamos a 2556 em 17 km… seguindo uma velocidade e giro constante a ponto de poder conversar com o Flavio que encontrei nessa subida..passamos também pelo Pedrão que estava na sua quinta ida para o l’etape.

Quando olho para a direita vejo o tamanho da encrenca…uma parede gigante com aquele zig-zag e uma fila de ciclistas…lááááááá em cima só via os capacetes avançando lentamente.

O Flavio se adiantou e eu segui no meu ritmo, mas agora não mais poupando e sim fazendo o que era possível. Sobe, sobe, sobe e sobe, daí uma última curva a direita e…….sobe, sobe, sobe, sobe….novamente vi outra parede ainda maior do que acabara de subir com a mesma fila…uma bike atrás da outra. Nesse momento começava a ver algumas pessoas paradas no canto da estrada se recuperando.

Nunca havia visto tanta subida. A serra de Campos do Jordão pareceu pequena. La em cima, a paisagem era Arida, nenhuma árvore, nenhuma sombra e ainda assim havia gente de motor home na beira da estrada dando força para todos.

Quando estava chegando no cume, pensei, agora vou recuperar de morro abaixo…daí passei por um japonês com a foto do filho no guidão. Achei que era um sinal. Alias, varias coisas passam na cabeça em uma prova como essas…mas isso eu conto mais tarde, vamos a descida.

Parei, coloquei o corta vento e comecei a descer. Uma estrada de asfalto liso mas sem pintura nem barreira para evitar que você despencasse precipício abaixo. Comecei a descer a uns 60km/h achando que estava bem…mas é impressionante a habilidade dos caras por aqui. Um após outro me passando, mas resolvi que seguiria nessa velocidade até Lautaret. De lá em diante eu conhecia a estrada.

Passado Lautaret soltei um pouco mais o freio e seguia a 70km/h e mesmo assim alguns ainda me passavam….mas agora eu também já passava outros. Sabia que no caminho havia um túnel sem iluminação e que teria que ter cuidado ali…quando vi o túnel chegando, baixei os óculos, apertei um pouco mais os freios e senti a temperatura cair quando entrei no escuro….imediatamente ouço um monte de gente gritando…l’eau…l’eau…l’eau…e um grupo parado no meio do túnel por que estava escuro e molhado…apertei o freio o maximo que pude e desviei para esquerda deixando o grupo para trás, acho que o único susto da prova.

Pedalo para ganhar velocidade novamente e formo um pequeno pelotão com mais 4 pessoas…descendo forte em fila íamos fazendo as mesmas tangencias nas curvas…muito legal.

Na reta pedalávamos a uns 40km/h até nos unirmos a um grupo maior e virar um grande pelotão. Estava com dores nas pernas e muita dor nas costas…sabia que antes da última subida havia um outro ponto de alimentação, estava louco para chegar lá….parei, abasteci de água, alonguei um pouco as costas, comi um gel e outra banana e devagar sai para a subida de Huez.

Huez é famoso no Tour de France, Muitos dos grandes vencedores do Tour venceram aqui também como Marco Pantani e o Lance Armstrong. São 21 curvas subindo e cada uma com o nome de um vencedor da escalada. Você sai de 723 metros e sobe até 1850 em apenas 14km.

Tinha a intenção de começar lento para forçar no final…logo nas primeiras subidas vi que isso era uma ilusão. O Sol castigava muito e as pernas já tinham vontade própria. Coloquei então na cabeça que seria devagar e sempre. As pessoas que acompanhavam na beira da estrada incentivavam, gritavam, jogavam água em nossa cabeça…mas a dor ia aumentando.

Comecei a lembrar de todos os treinos…na correria que foi para sair de São Paulo…o quão isso me deixara chateado…pensei nos meus pais que passaram a acompanhar o Tour para entender o que eu estava fazendo…pensei muito na minha mãe e na batalha que ela está vivendo…guerreira….e pensei muito…muito na Isa e no João…como queria que estivessem ali….como teria outro sabor………….isso era por eles também. Comecei a acompanhar o Tour enquanto esperávamos o João…e essas lembranças todas voltaram…os olhos se enchem de lagrimas.

5k para o final, agora eu chego nem que seja de joelhos…as curvas que a dias atrás fiz de pé, sprintando para bater fotos, agora não tinham fim…muitos ciclista parados ou empurrando as bikes.

2k para chegada…começo a me arrepiar…as pessoas na rua agora gritam muito e cada vez que gritam allez brésil me empurram alguns metros. Começo a descer a cidade antes de virar na última subida para o pórtico de chegada. Um bike passa por mim correndo muito…ouço um barulhão na curva e vejo dois ciclistas no chão…putz, na última curva….

Passo por eles e olho para cima…… vejo o pórtico…tenho vontade de dar aquele último sprint …de pé…para chegar “bem na foto”…mas já não tenho força para isso……muitos brasileiros na chegada gritam…VAI BRASIL….cruzo a linha com 6:10 de prova…melhor do que esperava….tudo aquilo que vinha pensado na prova se mistura numa explosão…não contive o nó apertado na garganta….peguei a medalha…me joguei em uma sombra…e liguei pra CASA…

Fim de L’Etape

Agradeço ao Cleber da Anderson Bikes e ao maravilhoso grupo de companheiros ciclistas que se tornaram amigos!

aos amigos de treinos Gustavo e Luciano…

Obrigado também ao Caco pelas planilhas e apoio de sempre SELVA…obrigado pela torcida de todos.

EM BREVE O VIDEO MONTADO

Todas as fotos AQUI

Anúncios

6 Responses to “Le Etape Du Tour”


  1. 1 Alexandre Cruz julho 22, 2011 às 12:51 PM

    Boas memórias, Edu. Parabéns! Do seu roommate do l’Étape. Alexandre Cruz.

  2. 2 edubecker julho 22, 2011 às 1:06 PM

    Vlw parceiro…foi realmente um show…agora é continuar pedalando…
    Depois podiamos fezer um video mais profissional, hehehe

  3. 3 Alexandre Cruz julho 22, 2011 às 1:08 PM

    Anytime. Tô esperando as imagens da MySports para fazer o meu. Vou pedir permissão para usar seu material e vou pedir ao Fê Trota para usar o dele. Abração! Ale

  4. 4 edubecker julho 22, 2011 às 3:15 PM

    Sem problemas …manda bala! Absss

  5. 5 Katia Schoenaker julho 22, 2011 às 4:20 PM

    Oi Edu,
    Vi esse post no face e segui para ler na íntegra. Adorei seu blog! Vou seguir!
    bjão
    Katia

  6. 6 edubecker julho 23, 2011 às 6:13 AM

    Oi Katia, que legal que gostou, na verdade só atualizo qdo tem algo bacana de trip ou esporte ….espero que curta! Beijao


Obrigado por seu comentario...em breve lhe responderei...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Flickr Photos

Meu Twitter

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 3 outros seguidores


Audax Randonneurs São Paulo

Ciclismo de Longa Distância

DESAFIO RURAL

Ciclismo de longa distância por terra - Cicloturismo e afins

WordPress.com

WordPress.com is the best place for your personal blog or business site.

%d blogueiros gostam disto: