Posts Tagged 'Deserto do Atacama'

Capitulo 5 -A Chegada ao Pacifico

Rios congelados

Rios congelados

Acordamos as 4:00 e as 4:30 fomos para o Tatio (gêiser) , o frio era enorme e nos fizemos chá de Coca que haviamos comprado no mercado, (é permitido e não é droga…é chá mesmo) começamos a seguir uma van na saída da cidade, mas num dado momento ela desapareceu (será que foi o chá de coca?)…..seguimos por duas horas (seguindo o GPS, tem dado muito certo) por um caminho inacreditável, cruzamos alguns rios congelados e os carros ficaram com estalactites em baixo. Geisel El Tatio está localizada a aproximadamente cem quilômetros de San Pedro de Atacama no vulcão Tatio, a uma altitude de 4300 metros.000030

Geisel é um tipo de fonte quente de regiões vulcânicas com erupções periódicas e que de vez em quando jorra muito sais em dissolução do subsolo em forma de vapor.
A visita ao local é feita sempre antes do nascer do sol, um espetáculo a parte é ver os violentos jatos de vapor de água fervente diante do amanhecer formando um colorido fantástico entre a terra e o céu, normalmente os jatos 000020de água chega a uns seis metros de altura. Ficamos por ali observando e conversando com outros turistas. Dividimos nosso chá e ganhamos um café da manhã.
000019Seguimos as 9:00 da manhã para Calama, um caminho que ninguém sabia ao certo como era…um sujeito do Clube Land Rover do Chile nos deu a dica. Um caminho que mesclava deserto, gelo e vulcões…de Calama , o dia inteiro rodando sendo sustentados por sucrilhos e água; seguimos para Tocopila e Iquique. Realmente deserto…não passamos por ninguém o dia inteiro.000011

Havia em alguns momentos grandes penhascos como o que está na foto abaixo. Vale dizer aqui que deu um trabalhão tirar essa foto…olha o que andei para clicar….mas vale a pena.

000010

O interessante foi que pegamos – 15 pela manhã e a tarde ao cruzar o deserto pegamos uns 35 graus bem secos…o que nos fez parar para trocar de roupa(no meio da estrada) e beber água; no final do dia tivemos a visão do Pacifico e constatamos que é nele o por do sol… Pegamos um hotel descente dessa vez e foi o melhor banho até aqui….DSC08521Jantamos um Risoto de frutos do mar num restaurante que servia cerveja Becker e o garçom me deu uma caneca da cerveja.

DSC08536

Anúncios

Capitulo 4 – O DESERTO – Especial Fotos

000012Quase congelamos no hotel…ainda bem que tinha no carro meu saco de dormir que seviu muito bem com os cobertores por cima. Hoje o dia é de explorar o deserto e conhecer San Pedro de Atacama. O Atacama é o deserto mais seco do mundo, alguns restaurantes nem telhado tem, pois não chove mesmo.  A cidadezinha não tem 1000 habitantes, que está sempre vigiada pelo vulcão Licancabur. Visitamos a igreja matriz, a feira local e comemos empanadas com um tamanho surreal. Depois seguimos para o Vale da Lua e vale da morte. Acho que para o dia de hoje as fotos falam por si só.

IGLEZIA DE SAN PEDRO

IGLEZIA DE SAN PEDRO

IGLEZIA DE SAN PEDRO – Ela foi erguida em 1641. A cobertura de barro e palha do teto está presa a travessas de madeira de algarrobo e cacto, amarradas com tiras de couro.

Ruas de San Pedro

Ruas de San Pedro

Gostei tanto que fiz um Preto e branco também

DSC08483

Cores da Feira

Cores da Feira

Olha o tamanho da Empanada

Olha o tamanho da Empanada

Vulcão Licancabur

Vulcão Licancabur

000022

O Lincancabur é tido como semi-ativo e não se sabe quando foi sua ultima erupção. Seu topo está a 5619 metros de altitude.

Vale da Lua

Vale da Lua

Não é atoa que foi nesse lugar que a NASA foi tertar seus veiculos e robozinhos para mandar para Marte.  DICA IMPORTANTE: Protetor solar, protetor labial e beber MUITA água.

DSC08492DSC08495

Não parece Naboo em Star Wars?

Não parece Naboo em Star Wars?

Onde estão as criaturas da Areia?

Onde estão as criaturas da Areia?

Dina do por do Sol

Duna do por do Sol

000011

000038000040

DSC08504

000019

000041

Perdidos no Atacama – Capitulo 2 – Primeira Fronteira

Capitulo 2 – partida de Expedição de Verdade
Aproveitávamos cada momento…até a noite em que adesivamos os carros foi motivo para reunir o grupo e tomar uma cerveja…decidimos então que teríamos que fazer uma despedida oficial. Aproveitamos então um evento no sitio de um amigo para reunir a “turma”para fazer nosso bota-fora. DSC08392
Assim no dia 31/05/2003 (Sábado) às 8:00 da manhã, saímos de São Paulo sentido Araraquara. Com um comboio de oito carros chegamos ao Sítio Boa Esperança, um lugar é maravilhoso e o calor dos amigos faz o lugar ficar melhor.  O Prato foi o famoso Carneiro no Buraco, feito pelo Pirola. Um prato DSC08393maravilhoso que tem todo um ritual para ser preparado. O prato leva 12 horas para ficar pronto. Reza a tradição que o convidado que vem de maior distancia tem a honra de acender o fogo do buraco (sem duplo sentido). Nessa noite uma convidada que veio do Rio Grande do Sul teve esse direito…o que ela não entendeu é que deveria jogar a tocha de longe não buraco e não aproximar-se calmamente e ainda ficar olhando. A Explosão foi enorme e por pouco ela não fica …bem passada!
Papo vem, papo vai…está na hora da foto da despedida. Meus pais também estavam lá o que aumentava muito a emoção do momento..minha e deles. Depois de tantos momentos agradáveis com o pessoal, dar partida no carro estava ficando difícil. Estávamos muito ansiosos para partir, mas ao mesmo tempo queríamos desfrutar mais da companhia de todos.
Na hora do tchau, todos tinham algo para dizer, uma dica para dar, um conselho ou uma mensagem para deixar. Mais um beijo nos meus pais e bati a porta do carro. Primeira, segunda e olhar pelo retrovisor e ver a galera se despedindo… não deu para segurar as lágrimas.  Tinha esperado tanto por esse momento…
…mas estávamos na estrada com um novo objetivo pela frente e sem saber o que esperar.  De cara já tive um “presta atenção para baixar a ansiedade: antes de nos despedirmos do estado de São Paulo, tomei uma multa por ultrapassar em faixa dupla. Seguimos sentido Londrina e acabamos esticando até Maringá. Depois de rodar durante 40 minutos, achamos um hotel onde podíamos guardar nossos jipes. Saímos para comer uma pizza e tomar uma cerveja. Rodamos aproximadamente 450 km nesse dia.DSC08395
No dia seguinte, acordamos às 6:00, tomamos café e partimos para a estrada às 8:00 com o destino final Posadas, na província de Misiones. O meu carro estava com um cheiro péssimo, e como tinha passado numa lama fedorenta achei que fosse isso. Depois de 1 hora rodando, paramos para abastecer, pedi para jogar uma água por baixo do carro, para tentar me livrar do cheiro…mas nada. Depois de um bom tempo de novo parei o carro por não achar possível que pudesse estar fedendo tanto…mas não tinha nada no carro. Comecei a achar que alguém pudesse ter me pregado um peça na despedida ( a galera é muito zoadora)
Por desencargo de consciência, resolvi olhar meu pé e vi que tinha pisado num coco. Sem comentários. Para melhorar, o Matteo tirou uma foto da cena lastimável: eu passando Baby Wipes na bota. Felizmente, ele não percebeu que a máquina não tinha filme. (sim, tínhamos uma maquina digital e uma ainda com filme)000032
Tocamos sentido Foz do Iguaçu e de lá partimos para a Argentina. Perdemos mais ou menos uma hora na fronteira, pois a guarda criou problemas com as peças sobressalentes que carregávamos. achava que era contrabando. Aproveitamos para trocar dinheiro, os primeiros pesos e seguimos viagem.

Uma hora depois, fomos novamente parados pela policia e achamos que teríamos que dar mais explicações, mas dessa vez sem problemas.
Uma longa viagem compensada por um belo pôr do sol. Chegamos a Posadas por volta de 7:00. Encostamos num posto, tomamos umas Quilmes, comemos um Cup Noodles e agora vamos dormir nos carros, dentro do posto, que tem um bom banho.
Vale dizer que fizemos algumas adaptações nos carros. Dentre outras coisas, optei por fazer uma cama de madeira dobrável dentro do carro que realmente ficou muito boa, já o Matteo preferiu tirar o banco da sua Discovery e deixa-la como um furgão.

Perdidos no Atacama – Introdução

Atacama Introduçãologo-perdidos-home

Vou escrever agora sobre a expedição Perdidos no Atacama…Essa expedição, começou a tomar forma em uma viajem que fiz com um grupo de amigos de São Paulo que fiz quando entrei em um fórum de discussão chamado LROA (um fórum de proprietários de Land Rover).  Depois de termos feito algumas trilhas juntos, fomos a Teresópolis para visitar meus pais e fazer umas trilhas por lá. Estávamos na casa do meu irmão quando começamos a ver os mapas da America do Sul.
Na dificuldade de definir o roteiro pois as atrações eram varias, decidimos que o único ponto certo seria o Deserto do Atacama e de lá iríamos para onde  desse na telha. O que na verdade não foi bem assim, pois a medida que íamos nos informando mais o roteiro começou a se formar naturalmente…mas o nome já tínhamos….PERDIDOS NO ATACAMA.logo-perdidos-home
Os dois integrante confirmados éramos eu e o Matteo Villano, alguns ainda tentariam embarcar nessa jornada mas problemas de datas de ferias impediam e nossa ansiedade não dava margem para postergações.
Na volta de Teresópolis já corríamos atrás de todos os preparativos…queríamos uma expedição de verdade, com todos os equipamentos, site com atualização “real time” e até patrocínio. Começamos então a ter ajuda de vários amigos que de uma maneira ou de outra viajaram conosco nessa empreitada.  Peco aqui a licença de agradecer de antemão.
Joffre um amigo desde os tempos de colégio e um excelente ilustrados foi intimado a desenvolver a Marca da expedição….tomamos uma boa cerveja no Rio enquanto eu passava o “briefing”para ele….ele pegou completamente o espírito e fez a marca que você esta vendo aí.
O Alberto foi outro mega colaborador… trabalhávamos juntos e ele, como web designer, se prontificou a montar o site para nós…na verdade, sem saber montamos um site com alma de Blog…deu um super trabalho, mas levei um computador e fazia o diário e as fotos, quando conseguia conexão, enviava para ele que atualizava o site…foi uma maravilhosa experiência….pena que o site estava hospedado no HPG que sumiu do mapa…ainda bem que o Alberto tinha tudo guardado e recuperou para que eu possa dividir com você.

Perdidos no Atacama#1C67174[1]

Vários outros amigos deram muito ajuda.Gilson Cereda, já tinha ido ao Atacama e deu varias dicas, teve muita paciência para responder um monte de e-mails. Luiz Pirola foi o tutor do GPS e do laptop que nos acompanho durante todo o tempo. Da mesma maneira o Tomatinho sempre disposto a colaborar com o que fosse para que possamos fazer uma viagem tranqüila e segura nos emprestou estepes e tinha todos os roteiros possíveis para o GPS.
Artur Carlos Becker (meu pai) Um entusiasta desde o inicio e também colaborador com equipamentos e com o estudo dos mapas. Juliana Eid nossa consultora de seguros, também está tendo a maior paciência em explicar tudo o que precisamos e correndo atrás de documentos para nós.
Com Marca e Site e esse grupo de amigos ajudando, corremos para buscar patrocínio e apoio.
Conseguimos muita coisa na base do relacionamento e no apoio com equipamentos. A Kellogg’s ( na verdade a Mari uma outra grande amiga e apoiadora da expedição) nos deu uma infinidade de Sucrilhos que nos fui MUITO útil como vocês terão a oportunidade de ler. A BearMach com Peças sobressalentes  assim como a The Specialist. A Draft cuidou de todos os lubrificantes e aditivos dos Jipes. A Sony nos emprestou filmadora e maquina digital (lembre-se era 2003 e câmera digital era uma fortuna). A Goodyear com jogos novos de pneus e a Timberland com as roupas.
Tudo pronto…hora de zarpar.


Flickr Photos

Meu Twitter

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 3 outros seguidores


Audax Randonneurs São Paulo

Ciclismo de Longa Distância

DESAFIO RURAL

Ciclismo de longa distância por terra - Cicloturismo e afins

WordPress.com

WordPress.com is the best place for your personal blog or business site.

%d blogueiros gostam disto: